domingo, 24 de julho de 2011

há um tempo, quando eu tinha uns 10 anos de idade, escutei uma música chamada "como nossos pais" numa voz que me paralisou: elis regina. sem mais, aquela voz ficaria pra sempre em minha mente, e na minha opinião, é a maior que o brasil já teve. ela é, até hoje, em minha opinião, a melhor intérpete do país. mas há uns três anos, em 2007, ouvi uma outra voz, numa canção que se chamava "back to black", aquela voz me paralisou por um instante, só havia sentido aquilo com a voz de elis. alguns meses mais tarde ouvi outra música, "valerie", uma versão de uma banda inglesa, legal, mas que não chegava aos pés daquela voz, se é que vocês me entendem. aquela voz era de amy winehouse. no início deste ano, 2011, me reencontrei com esta voz, e me paralisei novamente, depois de elis, ela era a melhor. sem mais. não fazia força, só cantava, compunha, escrevia seu inferno e transformava aquilo em música. assim como elis, que não era compositora,mas cantava o inferno composto por outros. a força dessas duas, que hoje podem dividir o palco, fazem parte de minha vida. o triste é que o mesmo talento que elas dividem, a mesma voz que me emociona intensamente, se perdeu numa overdose de silêncio. naquele instante a voz não funcionou. nada adiantou. elas foram embora pelo mesmo motivo. mas serão eternas, pelo o que produziram, pelo que foram para muitos. e também para mim.

Um comentário:

Tatiana Santos disse...

Como comentar se você já disse tudo? Eu também amo a voz de Elis Regina, porém a primeira vez que ouvi a música "Como Nossos Pais" foi com a ex-dupla Sandy e Júnior.

Não sou muito fã da Amy. Talvez por não conhecer tanto o trabalho dela. Mas não dá pra negar que a sua voz é incrível!

Duas vozes maravilhosas... e eternas!