segunda-feira, 26 de março de 2012

capítulo um


depois da briga na noite anterior, tentando entender melhor a situação, um amigo pergunta ao outro:
- eu tô fazendo ela sofrer?
e outro responde:
- sim. vocês dois estão sofrendo, mesmo depois do fim. mesmo tendo acontecido há tanto tempo, vocês dois estão sofrendo, é possível ver nos olhos de vocês.
- mas, hoje tenho outra vida, encontrei outra pessoa, gosto muito dela, não quero vê-la sofrer, nenhuma das duas.
- por isso precisa escolher, do jeito que está, todos sofrem.
(pausa. longa pausa)
o amigo senta-se, coloca a mão na cabeça e sente uma lágrima escorrer dos olhos.
- quando a vi, depois de todo este tempo, senti tudo de novo, tudo que vivi há 15 anos. todas as primeiras sensações, todos os primeiros momentos, tudo veio à tona. mas, agora, estou diferente, vivo uma vida diferente daquela, não sei o que fazer.
- tem coisa que não deve ser negada, não deve ser complicada, deve, simplesmente, ser vivida.
- e tem coisas que foram boas por um tempo, infinitas por um tempo mas que agora.... eu não sei bem. tento dizer que, o que foi bom no passado, deveria servir somente como uma boa lembrança... porque... porque as vezes é difícil realocar o passado no presente... mudamos tanto, me apaixonei por outra pessoa, vivo uma vida com ela agora, não quero nada diferente.
o outro, percebendo a dificuldade, o sofrimento do amigo.. tentou mais uma vez.
- o amor, por um, já é difícil. o amor por dois, no seu caso, por duas, é impossível. mais uma vez lhe digo, faça sua escolha. remexer sentimento é ruim. se você sofre, é porque o passado vive em você. seu sentimento por ela vive, habita seu coração. eu sei que é duro, sei que é doído, mas faça sua escolha.
- mas reviver tudo isso, rever todos vocês deveria ser bom. éramos um grupo tão unido, porque nos separamos. quando foi que decidimos que tudo deveria acabar?
- a escolha foi de cada um. cada um seguiu seu caminho. éramos muito novos, fizemos muitas coisas loucas e boas, mas um dia precisávamos crescer, precisávamos respirar outros ares, conhecer outras  pessoas. mas, não sei porque, tudo agora parece tão errado.
- o errado é relativo, as vezes, depende do que você sente. assim como a verdade.
- todo este (re)sentimento, se é que você me entende, sentir tudo isso de novo... não sei o que fazer. preciso dormir, preciso pensar.
- faça isso. amanhã conversaremos.

Nenhum comentário: