quarta-feira, 23 de maio de 2012

vi meus passos no chão e pedras pelo caminho.
vi humilhação. risos e choros. vi o amor. o bom e o mau humor.
vi pessoas sábias. vi pessoas equivocadas. vi pessoas tristes e outras amarguradas.
vi certo e o errado. apenas vi.
prostrei.
não vi ação. faltou humanidade.
pessoas ousadas e inteligentes são interessantes.
elas, de certa forma, movimentam a humanidade.
o problema é o ignorante ousado.
com o perdão da palavra, faz merda.
preciso ver ações coletivas.
HOMENS realmente humanos.
passíveis de dor, culpa, perdão e amor.
homens e mulheres ousados, inteleigentes e ativos.
quero ver sombras de pessoas correndo, indo a luta.
não quero palavras vazias. quero o peito cheio de vontade.
a mão com uma flor. pétalas de flores velhas, secas, beirando as árvores.
quero um sorriso, no canto do olho.
quero a paixão avessa.
a sinceridade imatura. o princípio.

sábado, 5 de maio de 2012

sinto-me livre. em suspensão. solta no ar.
que ótima sensação esta de liberdade, de paz de espírito.
mas, infelizmente, dias assim duram pouco.
aproveitarei ao máximo esta sensação, quase lisérgica.
hoje, tomei um comprimido de alegria, a única perfeição da vida.
sinto-me perfeita.
amanhã volto ao normal.

terça-feira, 1 de maio de 2012

lembro-me hoje daquele primeiro instante em que nos olhamos.
da primeira vez que nossos olhos se cruzaram, que nossas mãos se tocaram.
lembro-me como meu coração batia forte e como meu estômago ficava fraco, sim.
lembro-me hoje da ansiedade da espera, de quando sabia que o veria.
lembro-me do primeiro presente que te dei. não me lembro do primeiro que ganhei.
lembro-me de quanto estava feliz.
lembro-me do primeiro fim.
lembro-me do adeus, de minhas lágrimas.
lembro-me do que vivi depois.
lembro-me de quando você voltou, e me disse que seria diferente.
lembro-me de tudo. tudo.